segunda-feira, 19 de abril de 2010

| ainda me fazes rir

com a tua idade ainda acreditar no pai natal é mau, vá eu vou-te contar a verdade não quero que faças figurinhas à beira de ninguém. então é assim, o pai natal não existe, não querido é apenas uma invenção.
agora que já te disse isso talvez consigas perceber que da mesma forma que o pai natal não existe, eu também não estou à tua esperinha. pois é. dificil de acreditar? acredito que sim, para mim também é. lutei, lutei, enfrentei, mudei de cidade, realizei-me profissionalmente, apoiei-te em tudo o que pude e não pude e agora o maior prémio é libertar-me de ti.
não penses que guardo ressentimentos, pelo contrário vivemos momentos únicos, [fomos] fui muito feliz, tu sabes que estarei sempre aqui para te ajudar, tu sabes que não te deixarei ficar na mão. a diferença está no facto de agora eu estar em primeiro plano e tu estás uns quantos planos abaixo. vens me criticar por eu estar a seguir a minha vida, estar de cabeça erguida e a concentrar-me na minha profissão e nos meus amigos; mas meu querido, foste tu que nunca foste capaz de me dizer as coisas na cara... sempre o fizeste por mensagem. é medo? eu sei que dizes que mulher do norte é fogo e tens medo, mas nunca te bati, nem te gritei (se calhar foi esse o mal, não te ter dado dois berros e mostrado que só não via o que não queria).
por isso, e para não o fazer agora que já não faz sentido, e respondendo à tua pergunta: sim, vou-te continuar a ignorar, sim não te quero ver por enquanto, sim apesar de tudo sinto-me bem, e não, não te esqueci nem tenho outro (falta de segurança a tua que sempre me fez impressão). E isto é o que me faz rir, só te doer quando decidi partir.

"Well you done done me and you bet I felt it
I tried to be chill but you're hot that i melted
I fell right through the cracks, now i'm trying to get back"





Sem comentários: