terça-feira, 20 de abril de 2010

| ódio? não


‹‹Ódio por ele?Não…Se o amei tanto,
Se tanto bem lhe quis no meu passado,
Se o encontrei depois de o ter sonhado,
Se à vida roubei todo o encanto…
Que importa se mentiu? E se hoje o pranto
Turva o meu triste olhar, marmorizado,
Olhar de monja, trágico, gelado
Como um soturno e enorme Campo Santo!
Ah! Nunca mais amá-lo é já o bastante!
Quero senti-lo doutra, bem distante,
Como se fora meu, calma e serena!
Ódio seria em mim saudade infinda,
Mágoa de o ter perdido, amor ainda.
Ódio por ele? Não…não vale a pena…››
Florbela Espanca - Ódio
uso várias vezes este poema quando me dizem de animo leve para te mandar f*#$%, etc. etc. etc. não faz sentido odiar quem um dia nos fez felizes, há tanta gente que possivelmente já nos magoou mais e nós não odiamos, pelo contrário às vezes ainda falamos e ajudamos; porque iria eu nutrir um sentimento tão negativo por alguém que fez tão feliz?!
faço sempre os possíveis para ver a parte positiva de tudo. ok terminou, sim estou a sofrer. até aqui acho perfeitamente normal afinal não foram dois dias; agora é tempo de sarar as feridas, recompor-me para ficar novamente a 100% e seguir caminho à tantos objectivos que tenho a cumprir.
o amor é realmente uma parte importante da vida do humano, mas já sofri uma perda bem pior meu querido. também já me fizeram acusações bem piores que as me estás a fazer. no fundo eu compreendo; sempre me tiveste, sempre te apoie, nunca te virei as costas...e tu ias e voltavas e eu aceitava. desta vez recusei. não esperavas que aquele adeus fosse um adeus de fim, achava que no dia a seguir eu estaria presente. dei-te os sinais, falei contigo e nunca acreditaste que um dia ia ser real.
mas é, esta foi a minha decisão. esta é a guerra que resolvi travar comigo, e a guerra que venço
por isso chega de lágrimas, eu gosto de te ver sorrir, ilumina-te.
eu estou a sorrir porque foi bom enquanto durou.

Sem comentários: