sábado, 24 de abril de 2010

| sentir

Se não fosse eu o que seriam as tuas palavras? 
Às vezes ponho-me a pensar como seria se deixasse de sentir. Agora percebo porque é que o limite de sentir sobe, porque é que ele aparece e desaparece instantaneamente. É um segredo e eu já encontrei a chave para descodificar a lista de sentimentos. 
Já que a vida ergue sempre os que caem, espero então que me levante e consiga vê-la com os olhos de uma menina que acredita em tudo, quero voltar a ter pensamentos de criança. 
Num céu há muitas estrelas, até te apaixonares pela lua; é tudo uma questão de verdades. E com o tempo só temos de deixar de olhar para os que nunca olharam por nós e deixar de tentar perceber o que não tem explicação, olhar para a nossa lua e sorrir para ela por sempre ter olhado por nós mesmo nas noites mais escuras. Olha por mim todos os dias que eu por ti olharei. 

Sem comentários: