segunda-feira, 10 de maio de 2010

| sem título. não precisa

vi-te, e não tremi.
ao contrário do que seria de esperar, não fiquei nervosa, não me revoltei por estares abraçado a outra (sim a que ocupa um lugar que foi meu).
foi (muito) estranho, mais estranho quando a largaste e vieste na minha direcção. foi aí que simplesmente fugi, mudei o rumo do meu passo. estava demasiado feliz para deixar que me roubasses mais um bocadinho de mim.
vieste e agarraste-me com toda a força pelo braço, gritaste comigo e disseste para parar. olhei-te nos olhos, sorri e continuei o meu caminho.

o telemóvel vibrou e dizias 
"estás sempre linda MEU amor" 
(já não é teu, deixaste fugir)

Sem comentários: