quarta-feira, 21 de julho de 2010

| ela escreveu

‹‹Espero que já tenhas aprendido que a tua felicidade é sempre temporária. E eu estou sempre aqui - muito burra - quando estás feliz e nem sequer te lembras que existo, e quando estás triste e desiludido e eu passo a ser o teu quase tudo, o teu ombro, o teu apoio. De vez em quando, eu posso ser injusta e impulsiva e dizer coisas sem pensar e magoar-te. E peço-te desculpa. Mas já pensaste nas vezes que me magoas e eu continuo aqui a sorrir(-te)? Não, pois não?››
Eu assino por baixo todas estas palavras da Lua Escondida. Tão familiar o que ela escreve, parece tudo o que (ainda) vivi. Sem mais nada a acrescentar.

2 comentários:

Lua Escondida* disse...

Oh :')

Gosto tanto quando as pessoas se identificam. Não me sinto sozinha :)

Um beijinhoo*

NaRiZiNhO disse...

e não estás Lua, há imensas coisas que escreves que me identifico