terça-feira, 17 de agosto de 2010

| o que há em mim

é sobretudo desilusão
já perdi a conta das vezes que comecei a escrever e apaguei, mas eu tenho que escrever sobre este assunto, não posso simplesmente fingir que não aconteceu. porque está cá dentro a corroer. 
eu sabia que dos quatro ele é o mais fraco, o que tem menos personalidade, talvez o que sofreu mais (consequências de más escolhas portanto), mas daí a ousar faltar-me ao respeito não tolero. bater numa mulher é o acto mais cobarde que um homem pode ter e que de minha parte só leva à perda de todo e qualquer tipo de respeito.


(muita) dor,
temos o mesmo sangue 
mas não há perdão

Sem comentários: