terça-feira, 15 de novembro de 2011

| ponto final

há sempre um acontecimento que define o momento do ponto final. e eu gosto de pontos finais. não gosto de deixar pontas soltas, muito menos a vida em reticências.
demorei a aprender isto.
bati com a cara umas quantas vezes até perceber que o sim e o não são como pontos finais verbais.
percebi que só quando assumimos o ponto final é que se o universo se organiza para escrever um outro capitulo.
é duro, não é fácil, mas no fim o coração relaxa e sabe bem.

Sem comentários: