sexta-feira, 3 de maio de 2013

| é desta que aprendo

são mais as pessoas que me vão desiludir ao longo da vida, do que as que me vão apaixonar.

1 comentário:

Roberto Silva disse...

Teorias Sobre o Gosto

Sendo verdade que os sentimentos extrapolam o racionalismo das equações matemáticas, e que não existe propriamente um método ou linha orientadora que nos guie sem erros e/ou nos faça perder o temor do falhanço, penso que na grande maioria das situações acabamos por complicar o que á partida nem seria tão desafiante.

A verdade é que a correspondência de sentimentos acaba por se afigurar como o passo mais complicado. Gostar de alguém é quase um processo natural, acontece inúmeras vezes, penso até que como "seres" emocionais o que nos distingue verdadeiramente é essa capacidade de afeiçoamento, de ligação, e se deixarmos a falsa modéstia de parte compreendemos que o inverso acontece igualmente em algumas ocasiões,A barreira está na precisamente dicotomia amar versus ser amado e na sua simultaneidade.

O curioso acontece precisamente quando esse derradeiro obstáculo é ultrapassado e parece abrir diante de nós o tal caminho para a felicidade (efémera convenhamos), porque é nessa altura que o nosso carácter masoquista revela todo o seu potencial. O "gosto" é tão banalizado, tão deslavado que o dizemos a torto e a direito, gosto porque gosto simplesmente porque será a antítese do não gostar, a salvação do meio termo.

Atenção o "gostar" pelo menos o de hoje, não implica qualquer tipo de sacrifício, acho-o mais uma espécie de adereço, de marca.... "eu gosto de ti mas......." (existe sempre um mas, ou dois..ou vários) tu tens de ser como eu quero, senão direi o "gosto" a um próximo. Seria mais fácil numerarmos uma lista de requisitos necessários, do género lista de supermercado para oferecermos juntamente com o "gosto", assim o respectivo poderia apresentar a pré-candidatura que seria posteriormente avaliada tendo em conta todos os critérios estabelecidos.

"Lista para ti de quem "gosto"

Exijo:

10 Km de distancia máxima( não vá eu ter de ter demasiado trabalho)

gostos similares (não vá alguma discrepância originar uma trabalhosa discussão)

disponibilidade total de tempo para estar comigo e ausência dela para quando eu não quiser estar contigo...

and so on...and so on..."



Curioso como o "gosto" se assemelha cada vez mais como uma simples ida as compras, até porque se "o tal" não estiver disposto a cumprir o estabelecido, venha o próximoporque na lista de espera são colocados vários de forma cautelosa, no género mais vale prevenir.

Talvez essa poupança de recursos e de vontades seja um factor no qual a "TROIKA" se possa inspirar para testemunhar a nossa real capacidade de salvaguarda, afinal do emocional ao físico vai uma distancia cada vez mais pequena.



E este texto actualiza-se a cada dia que passa..