sexta-feira, 7 de outubro de 2016

| respirar devagar


não têm sido uns meses fáceis, também não têm sido uns meses maus. tenho vivido mais lentamente, permito sentir-me a respirar.
estou a aprender a viver com a inconstância da doença da minha mãe, um dia de cada vez sempre com o objectivo de lhe proporcionar a melhor velhice.
o universo trocou-me os objectivos, mas não me trocou a determinação e muito menos o optimismo.
transformei-me, e estou a descobrir-me.

Sem comentários: